Planos de saúde e a sua verticalização

Planos de saúde e a sua verticalização

Existem planos de saúde que, além de oferecerem benefícios comuns, dispõem de serviços de imagem, contam com uma clínica, têm parceria com laboratório… Isso está se tornando cada vez mais comum no Brasil e muitas empresas se transformam em verdadeiros complexos integrados de saúde. A denominação para isso é verticalização de planos de saúde empresariais e individuais.

Essas organizações costumam disponibilizar atendimento de urgência e emergência, pronto-socorro e por aí. A expansão e abrangência de atuação não é tão recente, mas ganhou força nos últimos anos.

O que é a verticalização dos planos de saúde?

A verticalização dos planos de saúde acontece quando as operadoras investem em estruturas próprias e integradas de serviços. É o caso, por exemplo, de um plano de saúde que oferece unidades de pronto-socorro, conforme já falamos.

No entanto, há diversas maneiras de investir nesse modelo de negócio. Outro exemplo de verticalização é quando os hospitais oferecem seus próprios planos de saúde. Sejam eles pacotes individuais, coletivos ou plano de saúde PME.

Motivos para empresas estarem investindo na verticalização

As empresas, não só relacionadas com saúde, procuram otimizar e facilitar o acesso dos clientes aos seus serviços e produtos. A chegada da pandemia da Covid-19 fez com que essa necessidade ficasse ainda mais evidente, atingindo também as operadoras de planos de saúde. Ou seja, desejando simplificar os processos, organizações brasileiras investem na fusão e aquisição de serviços. 

A maior abrangência de mercado favorece a margem de lucro das companhias e proporciona  um modelo de serviço de saúde e bem-estar mais próximo dos usuários.

Vantagens da verticalização

A verticalização apresenta vantagens e desvantagens. O entendimento se ela é boa ou ruim, tanto para as empresas quanto para os usuários, depende das necessidades individuais. Para realizar essa avaliação, ter um corretor de planos de saúde ao lado é interessante.

Entre os prós, podemos citar:

  • Diminuição da burocracia para os beneficiários, visto que dispensa a necessidade de se consultar com várias empresas com políticas diferentes;
  • Proximidade e foco nas demandas do usuário, pois o mesmo será atendido pela mesma rede;
  • Com os sistemas integrados, há mais agilidade na assistência ao cliente;
  • Atendimento multidisciplinar com uma visão holística sobre o paciente. A empresa tem todo o seu histórico de tratamentos, consultas e exames;
  • Economia para os clientes, dado que existem menos intermediários entre os serviços oferecidos.

Desvantagens da verticalização

Já quando falamos em desvantagens da verticalização dos planos de saúde, podemos citar:

  • Falta de flexibilidade para os usuários escolherem os profissionais, pois ficam restritos à oferta disponível pela empresa;
  • Rede credenciada restrita;
  • O modelo pode ser considerado um monopólio dos serviços de saúde.

Por isso, é importante analisar cautelosamente as necessidades dos beneficiários. Em caso de planos de saúde para empresas, contar com a assessoria de uma corretora de saúde é fundamental.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>