3 especificações para comprar os rebites certos

3 especificações para comprar os rebites certos

Engana-se quem pensa que basta escolher um entre os vários tipos de rebites disponíveis no mercado. Esse material amplamente utilizado nas indústrias do setor naval e de aeronaves também apresenta especificações essenciais que precisam ser avaliadas. 

É claro que, quando os rebites são utilizados em alguma parte da construção civil, fica mais fácil avaliar apenas o modelo e a forma de emprego. Mas, quando a aplicação envolve segurança, é imprescindível estar atento aos detalhes. 

Confira 3 especificações que você precisa saber para comprar os rebites certos, a seguir. 

1. Diâmetro dos rebites

Você já sabe que os rebites são elementos de fixação industrial empregados na união semipermanente de chapas metálicas. Ou seja, utiliza-se o rebite de repuxo ou qualquer outro modelo quando o objetivo é unir duas peças de modo que elas não se separem jamais. 

Para que isso seja possível, você precisa saber que o diâmetro do tipo de rebite escolhido precisa ser 3 vezes maior que a espessura da chapa onde ele será aplicado. 

Isso porque sem essas medidas, você pode ter problemas na hora da rebitagem. O rebite precisa ficar totalmente preso, e com espaço suficiente para formar a segunda cabeça da peça, unindo com segurança ambos os materiais. 

2. Modo de fixação

Outro detalhe importante a ser verificado na hora de comprar o rebite certo, é se informar sobre o modo de fixação do produto. Alguns acessórios podem ser fixados a frio ou a quente, o que implica diretamente na expansão do material. 

O ideal é saber se existe um modelo correto de rebitadeira para o tipo de rebite escolhido. Hoje é possível ir além das rebitadeiras manuais e encontrar rebitadeiras pneumáticas e até rebitadeira hidropneumática profissional.

3. Tipo de rebite para cada situação

Por fim, mas não menos importante, é a escolha do tipo de rebite de acordo com o serviço que será realizado. Cada modelo tem uma finalidade específica e, por essa razão, é muito importante que você entenda um pouco mais sobre isso. 

Vamos falar sobre dois tipos mais comuns. Confira!

Rebite com rosca

O rebite com rosca interna é um dos modelos mais comuns e utilizados quando o assunto é unir dois tipos de materiais com eficiência. 

Nesse caso, a fixação com esse tipo de rosca é a ideal para chapas mais finas, onde não é necessário o emprego de resistência por parte do elemento de fixação.

Rebite estrutural

Outro modelo bastante utilizado é o rebite estrutural. Com alta tecnologia, ele é aplicado em diversos setores onde o travamento completo dos materiais é imprescindível. 

 

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

Close
!
Imagem animada do Facebook